CICLO VIVO

Posted by | fevereiro 02, 2015 | Artigo | No Comments

Recentemente publiquei um artigo sobre o Ciclo de Aprendizado Experiencial intitulado “Um Olhar Sobre o Ciclo de Aprendizado Experiencial”.
Neste artigo, em dado momento, menciono que o Ciclo é vivo e que há, na literatura e no mercado, diferentes modelos de Ciclos usados, que transitam mais ou menos pelas mesmas fronteiras, usando conceitos que diferem pouco e que em essência assemelham-se bastante.
Nesta oportunidade quero trazer um novo olhar que confirma, ao menos para mim, a tese de que o Ciclo é vivo. O faço compartilhando outra representação deste, que no meu entendimento tem uma imagem mais clara e que dá uma referência tridimensional do avanço de uma equipe, grupo ou indivíduo que passa por ele.
A imagem da espiral ascendente aparece como um modelo em diversas culturas como uma demonstração de evolução. Está presente na representação do nosso DNA e na natureza aparece ainda com outras formas, de  conchas do mar a brotos de samambaia ao olho dos furacões.
O fato é que trata-se de um arquétipo que se repete em vários contextos. No nosso caso simboliza o avanço e em parte o perfil da equipe, grupo ou indivíduo com o qual estivermos trabalhando.
Uma espiral regular, com ciclos de voltas iguais ou o mais estáveis o possível, representa uma equipe, grupo ou indivíduo que está performando sem solavancos, sem surpresas.

espiral regular
Digamos que este é um estado desejado, é a busca, o ideal…lembrando que o ideal, na maioria das vezes mora na nossa cabeça.
Ciclos regulares, representam sinergia, equilíbrio, estabilidade, consistência no crescimento/desenvolvimento.

Manter a regularidade pode ser um grande desafio e depende, do ponto de vista comportamental, do nível de maturidade do grupo.
Uma espiral cônica, que apresenta os ciclos cada vez menores (até o ponto de estabilizar-se) representa uma equipe que está em desenvolvimento, crescendo, se percebendo capaz e levando esse ciclo a girar cada vez mais rápido, com insights significativos compartilhados por todos ou grande parte do grupo de modo a gerar o movimento de amadurecimento na direção desejada.

Espiral cônica
E por fim me vem a imagem de um cone invertido, com os ciclos cada vez maiores, representando uma equipe ou grupo que pode estar passando por dificuldades, conflitos, processos de mudança profunda.

Cone invertido

Contudo, uma coisa é certa. Nenhuma equipe, grupo ou indivíduo fica em um único desses 3 estados para sempre e o esperado é que transitem pelos 3. Porém o tempo que se permitem ficar em cada um desses estágios também nos fala muito do momento e maturidade de cada indivíduo, grupo ou equipe.  E é nesse pulsar, que leva de um estágio a outro e no tempo que o indivíduo, grupo ou equipe “escolhe” ficar em cada estágio que reside a essência do nosso trabalho. Convidando os indivíduos a olharem para suas escolhas e ampliarem sua consciência sobre onde querem estar.
Faz sentido para você? Não? Conte-nos o que pensa a respeito! Será um prazer interagir e compartilhar com você! Apareça por aqui, sempre teremos novos artigos, idéias e espaço para troca.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.